Há 20 anos, lá na terra da Rainha, uma outra rainha iniciava o seu reinado. Seu sonho de infância tornava-se realidade: o livro Harry Potter e a Pedra Filosofal era lançado pela editora Bloomsbury. E era apenas o primeiro livro de uma saga literária infanto-juvenil que mal sabia J. K. Rowling, a autora, que iria se tornar o segundo livro mais lido do mundo, perdendo apenas para a Bíblia Sagrada.

Três anos após o lançamento de Pedra Filosofal, Rowling se tornou uma das mulheres mais ricas da Grã-Bretanha, porque antes disso, dependia de ajuda do governo para poder sustentar sua filha – se você assistiu o filme Magia Além das Palavras, que conta a história de J. K. Rowling, vai saber do que se trata. Nós indicamos esse filme no nosso Thunder Dicas do último dia 16.

Antes de ser publicado, diversas editoras rejeitaram o manuscrito de Rowling – cá para nós: devem ser o maior arrependimento da vida dessas pessoas! -. Aqui no Brasil, Harry Potter só ficou conhecido a partir dos anos 2000, quando a editora Rocco comprou os direitos de publicação um ano anterior. Estima-se que a cada 30 segundos, uma pessoa ao redor do mundo, começa a ler um livro de Harry Potter.

Vieram os livros 2, 3… 5… 7… e findou um ciclo literário. Com mais de 400 milhões de livros vendidos e traduzidos para mais de 70 idiomas, em 2001, Harry Potter e a Pedra Filosofal ganhou uma adaptação para os cinemas e um número maior de fãs, os potterheads, como são conhecidos. Outros sete filmes vieram nos anos posteriores e bilheterias mundiais ultrapassando os 6 bilhões de dólares, fizeram de Harry Potter, um dos maiores acertos da história editorial e cinematográfica.

Surgiu o Pottermore, o site criado pela própria J. K. Rowling, a fim de trazer mais do universo mágico criado por ela, os diversos produtos licenciados, jogos eletrônicos, fanparties… e o lugar que todo fã deseja ir nem que seja uma vez na vida e vivenciar uma verdadeira experiência mágica: visitar o The Wizarding World of Harry Potter, nos Estados Unidos.

O parque temático inspirado milimetricamente nas aventuras vividas pelos personagens de Rowling, foi inaugurado em junho de 2010 em Orlando, na Flórida. Atualmente, é uma das atrações mais procuradas pelos turistas ao redor do mundo, perdendo apenas para a Disneylândia. Anos depois, ganhou uma extensão que possibilitou seus visitantes a experimentarem o mundo mágico mais a fundo e interagirem com figurantes e cenários existentes.

Falar de Harry Potter é falar de amor, de gratidão, de amizade… é falar das lições que foram aprendidas ao ler cada página, é relembrar cada momento vivido com os amigos ou com a família envolvendo Harry Potter. É apresentar o caminho às novas gerações que virão e que atualmente, trilham o caminho mágico de Rowling que já trilhamos. É muito mais que ser fã, é de fato, entender que sua carta de Hogwarts não chegou mas fingir que chegou, afinal, você estava lá quando tudo aconteceu.

É passar pela cerimônia do Chapéu Seletor e torcer para cair em qualquer Casa, de preferência na Corvinal e ser feliz os sete anos de estudos – “Sonserina não! Sonserina não!” Brincadeira, amamos a Sonserina e as outras Casas -. Nesses 20 anos, vivemos muitas coisas ao lado de Harry, Rony e Hermione e nos identificamos com o trio e com outros personagens. Nos identificamos com a própria Rowling. Joanne, para os íntimos.

Hoje temos Animais Fantásticos, uma infinidade de coisas a rever e a descobrir com os próximos quatro filmes. E mesmo que os anos passem, seremos parte do menino que sobreviveu. Uma frase nunca fez tanto sentido para nós, fãs, quando no sétimo livro, Snape conjurou seu Patrono para Dumbledore:

– Depois de todo esse tempo? – perguntou o diretor.
Sempre.

Gratidão, J. K. Rowling.

 

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here