quinta-feira, 22, abril, 2021
InícioGamesReviewsReview | Cyberpunk 2077

Review | Cyberpunk 2077

Cyberpunk 2077 é o jogo mais aguardado da década. O título é esperado desde meados de 2012 e desde lá os fãs do gênero ficção “sujo” ficaram de olho em cada notícia, mesmo que mínima a respeito título.

O gênero Cyberpunk, para quem não conhece, nasceu no início dos anos 1980, sendo um estilo que mistura alta tecnologia com baixa qualidade de vida. Sempre foi um gênero crítico de nossa sociedade, como pode ser visto em vários livros de Philip K. Dick, filmes como Blade Runner, Akira, Ghost in the Shell, entre outros.

Voltando ao jogo, ele não possui um roteiro original por se basear nos jogos de RPG de Cyberpunk criado por Mike Pondsmith.

O jogo possui um visual como esperado, ou seja, toda a sujeira, poluição e tecnologia usada e antiga jogada em cada sarjeta da cidade. Diferente de outros estilos – visuais -, da ficção como Star Trek, onde tudo parece novo e limpo, Cyberpunk leva o jogador vivenciar o universo em que está, ou seja, é como se nada daquilo fosse novidade para ele.

Trilhas de vida

Podendo escolher entre as 3 trilhas de vida ou Lifepaths, o jogador irá montar toda o passado de seu personagem que irá repercutir durante a jornada.

Não trazendo nenhum spoiler, o início do jogo pode até parecer chato e enfadonho, mas depois dos 40 minutos iniciais, tudo irá fazer sentido e o enfadonho se tornará tão claro como um soco dado por um braço biônico te fazendo ver estrelas.

História

Como sempre colocado no estilo Cyberpunk, o jogador terá que enfrentar uma mega corporação que deseja o domínio de tudo, aqui, da “alma” dos jogadores. Para aqueles que já conhecem os rumos deste gênero, não é nenhuma novidade, apenas poder visualizar e poder interagir com personagens que são tão interessantes quanto os de uma mesa de RPG.

E nesta parte, a CD Projekt Red foi feliz, porque Cyberpunk 2077 possui vários personagens dos mais interessantes e fascinantes já criados para um jogo digital. Aqui cada um quer algo, seja para proveito próprio ou que trará benefícios – próprios -, no futuro. Não existe pessoas que pensam no bem da humanidade, a não ser que traga uma vantagem para si.

Pontos negativos

Como todo jogo, o ponto negativo fica para a inteligência artificial. Os personagens até fazem o que se é esperado deles, mas existem muitos bugs como alguns presos na parede, outros congelados ou os bots que acabam mais atrapalhando do que ajudando, fazendo com que o jogador muitas vezes tenha que retornar sua missão.

Review | Cyberpunk 2077 1

Outra parte que torna o game negativo, é o jogador poder ir de casa em casa, como os jogos de Zelda, fazer o que quiser, como roubar e ninguém perceber ou fazer algo! Além do trânsito sem um único carro, mas que você é atropelado do nada. Estes são erros de IA ultrapassadas que a CD Projekt deve trabalhar o quanto antes.

Pontos Positivos

Estes são muitos! A começar pelo visual que já foi descrito. Só que este é um jogo Cyber Punk, e como diz o título, Punk! Portanto sua trilha tinha que ser mais do que impecável. São 11 estações de rádio que vai do Rock as músicas latinas, com mais de 150 faixas e notícias.

Positivo também é a escolha de quem você deseja ser. Caso escolha ser um hacker, use bem sua mente e desenvolva tudo desta arte, mas se não gosta e prefere ser mais “porradeiro”, não adianta nada fazer melhorias em cybertecnologia mental. Aqui é como os RPGs, onde o jogador deve fazer bem suas escolhas e ser inteligente, mesmo que tenha feito a opção de ser um brutamontes.

Durante a história aparecerão missões secundárias como procurar ou salvar alguém, resolver problemas entre outros.

Acima de 18 anos

O jogo não é para crianças e ponto final! O título é voltado para um público adulto devido a sua temática, além de cenas de sexo quase explicitas e o menu de montagem de personagens onde deve-se optar inclusive pelo tamanho de sua genitália.

Esta escolha pode até parecer uma apelação, mas durante a partida ela se torna até cômica, com NPCs que fazem comentários a respeito e brincam com seu personagem.

Portanto, se estiver jogando em um local público de sua casa, como na sala, ative o modo censura e seja feliz!

Vale a pena?

Mesmo com os bugs apresentados desde o seu lançamento, Cyberpunk 2077 é um jogo que vale a pena. Ele é divertido, possui vários elementos interessantes e envolventes em sua narrativa. O desafio é acima do esperado e o título não te obriga a fazer ou seguir um roteiro estabelecido.

A CD Projekt já se manifestou e fez um pedido de desculpas em breve muitos dos erros serão concertados, por tanto, adquirir o game agora ou no futuro, pode não fazer tanta diferença, caso não ligue para os bugs.

Em breve traremos mais especiais de Cyberpunk 2077, fique de olho!

Nota do Thunder Wave
Cyberpunk 2077 mesmo com tantos bugs, é um jogo que vale a pena, devido ao seu enredo, desafios e design.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

6,916FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,319SeguidoresSeguir

Crítica | O Protocolo de Auschwitz

0
Esta é a história real de Freddy e Walter - dois jovens judeus eslovacos, que foram deportados para Auschwitz em 1942. Em 10 de abril de 1944, após um planejamento meticuloso e com a ajuda e a resiliência de seus colegas internos, eles conseguiram escapar. Os dois homens são movidos pela esperança de que suas evidências possam salvar vidas. Feridos, eles voltam pelas montanhas para a Eslováquia. Com a ajuda de estranhos pelo caminho, eles finalmente conseguem cruzar a fronteira e encontrar a resistência e a Cruz Vermelha. Eles compilam um relatório detalhado sobre o genocídio sistemático no campo. No entanto, com a propaganda nazista e ligações internacionais ainda em vigor, seu relato parece ser muito angustiante para acreditar.

The Walking Dead | Cena de momento íntimo causa nojo nos...

0
Cena de momento íntimo entre Negan e Alpha causou reações negativas nos fãs de The Walking Dead. Veja.
Review | Cyberpunk 2077 8

Um adeus a Merlin

pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave