“Há dez anos, uma equipe de comandos especiais foi mandada para a prisão por um tribunal militar por um crime que não haviam cometido. Esses homens escaparam da prisão militar de segurança máxima passando a viver secretamente em Los Angeles. Ainda hoje são procurados pelo governo e sobrevivem como aventureiros, Soldados da Fortuna. Se você tem algum problema, se ninguém mais puder ajudá-lo e se conseguir encontrá-los, talvez consiga contratar o ESQUADRÃO CLASSE A.”

E após esta vinheta de abertura, um dos temas mais clássicos de seriados dava o seu tom, com uma música forte e uma pequena homenagem a um de seus atores, mostrando a série Battlestar Galactica.

A série clássica

O Esquadrão Classe A, ou The A Team nos Estados Unidos era uma série com muita aventura, personagens carismáticos, comédia e como as séries do século passado, principalmente dos anos 1980, tinham um fundo dramático e que te ensinavam algo.
Eram morais simples de sempre fazer o bem para as pessoas. Dá para se perceber pelo texto de abertura, que ainda tinha a voz da censura dizendo “Programa liberado para este horário”.

O Brasil ainda vivia sob a ditadura e a censura ditava o que podia e não podíamos assistir na televisão. A emissora em que era transmitido o Esquadrão, o SBT, deixa de ser a TVS e era uma das líderes de audiência no horário com suas séries que ainda hoje são verdadeiras nostalgias para os mais de 40.

Voltando a série, o Esquadrão era formado por alguns veteranos da guerra do Vietnã, que eram perseguidos pelo governo. E mesmo assim, davam um jeito de ajudar as pessoas, sempre por um preço. Muitas vezes, o que mais acontecia, eles nem mesmo cobravam. E aí mostrava o quanto de valor humano existia nestes personagens. O mais carismático da trupe, era o Cara de Pau, interpretado por Dirk Benedict.

Dirk Benedict em Esquadrão Classe A

Dirk era famoso na época por ter feito o personagem Starbuck na série Galactica, Astronave de Combate. E por isso na abertura quando ele aparecia, um Cylon, vilão de Galactica dava suas caras. Uma piada interna com o ator. Ele é o autor de Confissões de um Kamikaze Cowboy e Então nós fomos pescar.

Outro importante ator era George Peppard. Ele era um nome famoso nos cinemas, já tendo trabalhado com Audrey Hepburn. George antes de Esquadrão Classe A teve sérios problemas de alcoolismo e depois de se recuperar trabalhou em prol de alcoólatras. Infelizmente o ator, como podíamos conferir pela série, era viciado em tabagismo e em 1992 foi diagnosticado com câncer de pulmão. Depois de ter se recuperado da doença, faleceu em 1994 de pneumonia.

George Peppard em Esquadrão Classe A

Além deles, o Esquadrão tinha em seu elenco Mr. T, que foi o vilão no filme Rock 3, como Sargento Bosco Albert “Bad Attitude” Baracus a.k.a. B. A. Baracus, Dwight Schultz como Capitão H.M. “Howling Mad” Murdock (Louco Furioso na versão brasileira) e Melinda Culea como Amy Amanda “Triple A” Allen.

A série que chegou nas telinhas em 1983 durou 5 temporadas.

Anos depois, em 2010…

O remake de Esquadrão Classe A

Esquadrão Classe A

O Esquadrão está de volta!

Desta vez, o Coronel Hannibal Smith (Liam Neeson) e seus amigos mercenários são acionados para fazer um serviço secreto para um agente do Governo americano, mas uma militar de alta patente, a Tenente Sosa (Jessica Biel), antigo caso de Cara de Pau (Bradley Cooper), os proíbe de prosseguir na missão, que envolve falsificação de dólares em Bagdá e uma provável conspiração.

E novamente o grupo de Hannibal é injustamente condenado por um crime que não cometeram.

A ideia ainda – quase -, é a mesma. Todo o teor cômico e de aventura da série continua em seus personagens. Liam Neeson entrega com a mesma qualidade o Hannibal de George. O líder e o cérebro do grupo com a frase de efeito “eu adoro quando um plano dá certo”.

Liam a inteligência e sagacidade do líder do Esquadrão, além do famoso charuto.

Bradley Cooper, assim como Dirk, é um verdadeiro Cara de Pau! Mulherengo, vaidoso e cheio de lábia. Os outros personagens também mantém o seu estilo, principalmente o B.A., onde fica explicado o motivo pelo seu pavor (pavor é pouco), de voar.

Os atores da série principal, tirando Mr T e George Peppard (por motivo lógico), não apareceram. Segundo o Latino Review na época, o ator disse que não iria participar por razões financeiras, além de não ter razões para voltar ao filme, pois Bosco B.A. não era personagem principal. Outro motivo alegado pelo ator, para tristeza dos fãs, era não ter interesse em uma rápida participação no filme. Uma pena. Já os atores Dwight Schultz e Dirck Benedict, Murdock e Templeton, não tiveram problema algum.

O ator não aceitou participar do filme, para infelicidade dos fãs.

O remake é acima da média, principalmente por envolver uma série que fez tanto sucesso com o público. Nunca é fácil fazer isso e ter boa aceitação. O público irá sem dúvida alguma fazer comparativos.

O que torna esta versão tão boa, é que seus personagens continuam carismáticos. A escolha dos atores foi acertada. Além disso, o roteiro mantém toda a insanidade – até mais -, da série. A trilha sonora continua como um de seus personagens e o filme termina com aquela vontade de quero mais. Infelizmente, ficou no “quero mais”.

A série e filme devem ser vistas por todo aquele que gosta de algo leve e sem comprometimento. Principalmente o seriado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui