Baseado no livro Iluminadas, publicado no Brasil pela editoria Intrínseca, Shining Girls estreia na Apple TV+. Elisabeth Moss protagoniza o thriller policial, que traz o brasileiro Wagner Moura ao seu lado.

A série de oito episódios adaptada a história do serial killer criado pela autora Lauren Beukes em 2013 e apresenta um trabalho muito interessante da showrunner Silka Luisa para deixar a narrativa mais apalatável para as telas.

Veja também: Tudo Sobre | Shining Girls 

Para isso, algumas mudanças precisaram ser feitas, e funcionaram muito bem para essa versão. Veja as principais diferenças entre o livro e a adaptação para a TV:

Idades, empregos e épocas diferentes

O início da série e do livro são iguais, com Harper (Jamie Bell) se aproximando de uma jovem que montou um circo com lixo. A conversa é semelhante, assim como a escolha de puxar as asas da abelha e a interação deixando um objeto para a menina.

Entretanto, umas pequenas mudanças são feitas. Ele dá à pequena Kirby uma figura de madeira de pegasus azul, quando no livro é um cavalo laranja de plástico.

O ano dessa interação mudou de 1974 para 1964, essa sim sendo uma mudança bastante significativa. Isso torna Kirby uma década mais velha do que no romance, já que as cenas atuais ainda se passam em 1992. Kirby estando nas casas dos 30 muda bastante do perfil da personagem, que estava começando sua liberdade e querendo sair de casa no livro e era uma estágiaria. Com esse salto, ela tem uma vida mais formada, um flerte com Dan se torna menos problemático e dá Kirby o emprego de arquivista.

A nova identidade

No livro, Kirby era uma estudante universitária na época que sofreu o ataque, o que é de conhecimento comum entre a equipe do Chicago Sun-Times porque eles cobriam esse crime, na realidade, de todos que conheciam a garota. Já na série, Kirby mantêm seu passado traumático em segredo graças a uma mudança de nome. Segundo o detetive que trabalhou no caso dela, ela também fez uma mudança radical na sua aparência, além de ter planos de mudar para a flórida para deixar seu passado totalmente para trás.

A mudança de perspectiva de Kirby

Uma diferença extremamente signiticativa na narrativa -que foi muito bem pensada, visto que deixa muito mais intrigante os acontecimentos-, são as mudanças de perspectiva de Kirby. Traumatizada pelo ataque, ela vive constantes mudanças em sua vida, que começam pequenas e vão ficando cada vez mais gritantes. Inicando com anotações cotidianas, como com quem ela mora e o nome de seu gato, as transfomações vão aumentando com o gato mudando para um cachorro, trocando a casa onde ela mora e etc. Em dado momento, ficam mais urgentes, como o médico legista que está examinando-a para comparar as cicatrizes com o novo caso mudando de uma mulher para um homem no meio do ato.

Essas mudanças não ocorrem no livro, que acontece de maneira linear e quando algo parece diferente, é devido ao ponto de vista de Harper em suas viagens.

As vítimas

A ideia é a mesma, a execução um pouco diferente. Harper da série deixa os objetos DENTRO do corpo das vítimas, e não junto como originalmente. Kirby ganha uma caixa de fósforos de um bar que não existe, enquanto que no livro é um isqueiro com monograma perto de seu corpo.

Há um motivo para a mudança dos itens. Tanto o bar, ainda não criado, como o chaveiro descoberto em uma foto da cena do crime de 1972 são dicas das viagens, visto que a linha do tempo de cada item não bate. Isso também leva Kirby ao Dr. Jin-Sook Gwansun (Phillipa Soo) nos dias atuais. Jin-Sook deixou de ser um assistente social como é no romance para virar um pesquisador que trabalha no Adler Planetarium.

Dan Velázquez

Shining Girls | Veja as principais diferenças entre a série e o livro 1
Wagner Moura como Dan Velázquez/ Imagem: Apple TV+

Dan também sofre algumas outras pequenas mudanças. Enquanto no livro ele mudou para jornalista esportivo, um campo mais calmo depois de sofrer no investigativo, que resultou em sua esposa o deixando e um problema de saúde, na série ele ainda é investigativo e sua saúde mental está bem debilitada.

Ele ainda não superou seu vício em bebidas, não realizou essa transição de profissão e também possui um filho de 12 anos e não deixou para trás seu vício em bebidas. Sua ex-mulher é uma viciada que está fora da vida do filho, deixando a carga toda para ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui