Neil Druckmann, criador da franquia The Last of Us, está revisitando sua própria criação ao roteirizar, ao lado de Craig Mazin a produção serializada da HBO Max.

Em visita ao Brasil, para divulgação da série ao lado do elenco e do próprio Mazin, Druckmann falou a diferença do processo de criação entre uma série e um jogo e ressaltou os pontos mais importantes da história.

Atualmente, Druckmann está em seu quarto projeto envolvendo The Last of Us – três envolvendo o jogo e o quarto agora a série. Sobre o processo de trabalho nessa nova jornada, ele diz: “O trabalho foi diferente de uma maneira, de certa forma é uma história completamente diferente, não apenas entre mim e meus outros diretores, é diferente por estarmos sempre perguntando o que é e o quê estamos tentando dizer, como podemos fazer isso de forma mais eficaz e honesta possível. E, em seguida, estar aberto à ideia de torná-lo a melhor versão.”

Veja também: The Last of Us | Merle Dandridge fala sobre as diferenças de sua personagem no jogo e na série

E o processo exige algumas técnicas. “Neste caso, foi saber não estar muito apegado às coisas que já temos prontas e entender que essa mídia tem diferentes pontos fortes e fracos. É um trabalho de ir constantemente perguntando qual a melhor versão para esta história, para este meio e estar aberto para às vezes fazer coisas de forma idêntica como temos no jogo e às vezes desviando descontroladamente porque é o melhor para a trama.”

The Last Of Us | Neil Druckmann comenta as diferenças entre o roteiro do jogo e da série 1
Neil Druckmann ao lado dos colegas de The Last of Us em visita ao Brasil / Imagem: Thunder Wave

Neil ressalta constamente o quanto o trabalho colaborativo é importante: “Eu trabalho melhor com esse tipo de colaboração, seja com meu co-roteirista, com Craig ou um ator/atriz. Merle [Dandridge] teve que trazer uma Marlene diferente porque ela está atuando com uma versão ligeiramente diferente de Joel e Ellie e todos os outros personagens. Trata-se de ser autêntico com o que é isso. Não quero dizer desafio, mas foi algo que nos lembra constantemente do que precisávamos fazer para fazer o certo”.

As necessárias mudanças em personagens

Os personagens no game The Last of Us já são muito completos, mas para transmitir seus receios e intenções para o público em uma série podem exigir algumas mudanças. Druckmann comenta uma maneira interessante de fazer isso: “Eu acho que para cada personagem da história, para encontrar sua própria motivação interna, é preciso pegar os personagens interessantes pelos quais você está torcendo e colocá-los em conflito um com o outro”.

Gravando uma série pós apocalíptica durante a pandemia

The Last of Us trata de um mundo pós sofrer uma epidemia que dizimou a população. Curiosamente, a série foi gravada durante a pandemia de COVID e é interessante como essa nova perspectiva muda algumas noções que se tinha na trama anterior. “Percebi que tínhamos muito papel higiênico no jogo”- brinca Neil.

Algumas atualizações precisaram ser feitas: “Tentei muito fazer o jogo, mas fizemos muitas pesquisas sobre a gripe espanhola e outros surtos. Pesquisamos como indivíduos versus grupos maiores, versus governo, para que continuasse a passar a mensagem que realmente queríamos. Queria mostrar que os fungos são perigosos e acho que foi importante capturar o que acontece quando você não pode derrotar uma coisa tão horrível quanto alguns desses surtos. Então tivemos alguns reflexos do que está acontecendo no mundo, mas infelizmente não é o primeiro e provavelmente não será a última vez que teremos que lidar com algo assim.”

Veja também: The Last Of Us | Neil Druckmann conta seu processo de criação para o jogo

A série The Last of Us se baseia no jogo homônimo criado pela Naughty Dog para a PlayStation, lançado originalmente em 2013. A trama gira em torno de Joel (Pedro Pascal) e Ellie (Bella Ramsey), uma dupla que se conecta através da dificuldade do mundo em que vivem, e são forçados a passar por circunstâncias brutais e enfrentar monstros impiedosos em uma jornada pelos Estados Unidos após um surto apocalíptico.

The Last of Us estreia dia 15 de janeiro na HBO Max.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui