As adaptações de jogos estão em alta nos últimos anos e, entre elas, uma das mais aguardadas certamente é The Last of Us. Trazendo em live action os personagens de um game muito querido, é uma estreia que se mostra promissora- principalmente por investir em um elenco que parece se encaixar totalmente no perfil.

A produção original da HBO se baseia no jogo homônimo criado pela Naughty Dog para a PlayStation, lançado originalmente em 2013. A trama gira em torno de Joel (Pedro Pascal) e Ellie (Bella Ramsey), uma dupla que se conecta através da dificuldade do mundo em que vivem, e são forçados a passar por circunstâncias brutais e enfrentar monstros impiedosos em uma jornada pelos Estados Unidos após um surto apocalíptico.

Leia também: The Last of Us | Tudo sobre o jogo e sua adaptação para a HBO

Como adaptção, a obra funciona muito bem, retratando perfeitamente todo o universo criado por Neil Druckmann, que também assina o roteiro da série ao lado de Craig Masin (Chernobyl). Os dramas vividos pelos personagens e o cenário de destruição vistos no jogo estão presentes, o que deve ser uma alívio para os fãs e também consegue atrair um público que jamais jogou ou conheceu o título do PlayStation. Inclusive, a direção faz um trabalho notável para transportar essa experiência ao espectador, enquanto homenageia a obra original recriando cenas quase idênticas, que se mostram em primeira pessoa.

The Last of Us foge dos clichês de outras séries pós apocalipse com infectados que aparecem a todo instante em ataques massivos. A trama se aprofunda em mostrar a conexão entre os personagens centrais tentando sobreviver a esta nova realidade, mesmo que já tenha se passado 20 anos quando toda a destruição da sociedade começou.

Leia também: The Last of Us | Craig Mazin fala sobre o desafio de adaptar o jogo sem perder o lado emocional

Tanto Pedro Pascal quanto Bella Ramsey conseguem entregar personagens bem estruturados. A dinâmica entre os atores mostra os sentimentos e problemas envolvidos, principalmente por Joel, que possui uma enorme dificuldade em se relacionar e tenta construir uma boa relação com Ellie, por mais que tenha que lutar contra seu passado trágico para isso.

Os efeitos dos infectados são bem colocados, assim como a natureza que os transformou, que também é bem explicada, o que deixa a história mais envolvente e sem enigmas para os espectadores. A história foge de uma busca ao motivo do acontecido e mantêm o foco na fragilidade humana e o futuro da humanidade.

The Last of Us é uma adaptação que funciona bem para o streaming e deve agradar tanto aos jogadores da franquia quanto ao público fã de produções com dramas consistentes e densos, ambientados em um cenário elaborado e com atuações convincentes.

A série estreia dia 15 de janeiro na HBO Max.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui