terça-feira, 14, julho, 2020
Início Colunas Comparativos The Witcher | Confira as diferenças entre a série e os livros

The Witcher | Confira as diferenças entre a série e os livros

AVISO: O artigo a seguir contém spoilers da primeira temporada da série da Netflix e alguns acontecimentos dos livros.

O Continente é um lugar fascinante e completamente único entre os mundos de fantasia criado por Andrzej Sapkowski, e é por isso que mesmo aqueles que estão gostando da adaptação de The Witcher, por todos os seus méritos, ainda podem ter algumas queixas pela série não adaptar fielmente os contos e romances.

A showrunner Lauren S. Hissrich disse ao longo do desenvolvimento que o seriado permaneceria o mais fiel possível aos livros e, de certa forma, isso é verdade, já que o tom está lá, os mesmos temas ainda são proeminentes e bem explorados e as lutas dos personagens foram mais ou menos transpostos para a tela, mesmo que não sejam perfeitamente replicados. Mas pelo menos nas cenas de luta, sempre é possível ‘deixar passar’, pois nem sempre o que acontece em palavras, dá para replicar na tela, ainda mais se o que se aguarda, é que a adaptação seja baseada no mundo “real”. Dito isto, a série The Witcher exige mais do que algumas liberdades de seus roteiristas, que, sem dúvida, resultarão em grandes mudanças na história e nos personagens em geral. Vamos conferir algumas delas aqui.

Vale destacar que fazer uma lista de diferenças entre os livros e a série pode preencher um um único episódio – já que determinados acontecimentos levam a outros que modificam todo o andamento de determinados personagens -, portanto, o artigo será focado nos que definem os aspectos mais cruciais do Continente.

Voltar

1. A FLORESTA DE BROKILON

Visualmente, essa floresta protegida é tão mágica quanto deveria parecer. Aqui é um dos pontos onde os leitores podem perceber que existem muitas mudanças, desde as dríades aos eventos que se desenrolam dentro da floresta. Na série, é a floresta que chama Ciri depois que a princesa escapou da queda de Cintra e das garras de Nilfgaard. Ela é convidada a ficar junto à rainha das dríades, Eithné, que oferece águas místicas para ajudar a apagar as memórias traumáticas da perda e da guerra. Nada disso funciona e, eventualmente, Mousesack, ou melhor, o Doppler se fazendo passar por Mousesack, chega para levar Ciri de volta.

Este é um grande desvio dos romances. Em A Espada do Destino (Sword of Destiny – 1993), Geralt entra em Brokilon para entregar uma mensagem a Eithné, que domina a região florestal e seus habitantes não humanos. Lá, ele e uma dríade chamada Braenn descobrem uma Ciri de 10 anos, fugindo de um casamento potencialmente arranjado. O significado da floresta decorre do papel que desempenha na história de Geralt e Ciri e de sua importância para a construção do mundo, uma vez que ajuda muito a esclarecer a relação entre humanos e não humanos – incluindo elfos e anões – na região do norte do continente. Ao fazer essas mudanças na história, a série da Netflix torna a Floresta de Brokilon em algo mais do que outro local vagamente mágico. As dríades também se tornam pouco mais do que outra raça misteriosa de pessoas, sendo que tanto a Floresta quanto as Dríadas são muito mais do que isso.

Voltar
Veja Também: The Witcher|Tudo que você deve saber para se aventurar no universo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui

Siga nossas redes sociais

7,035FãsCurtir
3,084SeguidoresSeguir
4,385SeguidoresSeguir

O Silêncio da Cidade Branca | 10 diferenças entre o filme...

0
O Silêncio da Cidade Branca se tornou um filme apressado e não surpreendente, diferente do livro é de tirar o fôlego. Veja as diferenças entre as obras.

Um adeus a Merlin

10
Hoje faz um mês que terminou o ótimo seriado Merlin e ontem o ator Colin Morgan ganhou melhor ator de drama na premiação da...
pt_BRPT_BR
en_USEN pt_BRPT_BR
Thunder Wave-Filmes, Séries, Quadrinhos, Livros e Games Thunder Wave