Uma premissa surpreendente que tornou-se uma série que oferece surpresas inesperadas com total elegância e produção impecável. Penny Dreadful entrega diálogos completos cheios de presságios poderosos em torno de um longo monólogo em flashback.

O departamento de seleção de elenco de Penny Dreadful deve ter gargalhado enquanto pegavam essa coleção de talentos do cinema (Eva Green, Timothy Dalton), Brits sob o radar (Harry Treadaway, Rory Kinnear, Danny Sapani, Alex Price, Simon Russell Beale) e cartões selvagens (Josh Hartnett). Mas o conjunto, que apresenta nomes familiares como Frankenstein e Dorian Gray ao lado de personagens originais Vanessa Ives e Ethan Chandler, encontra-se na posição invejável de ter tanta química geral que quase todas as cenas têm uma forte energia de ressentimento tenso, conexão inesperada ou luxúria generalizada. Tudo é feito para fazer com que sentimos o que a cada episódio quer nos passar.

E há um trabalho de câmera assustador o suficiente para se adequar a qualquer um que esteja procurando por uma sensação de desconforto geral. Bruxas, Possessões, Demônios e todos os clássicos de horror incluindo Frankenstein fazem parte da trama que te conquista a cada episódio.

Olhando para a enorme densidade de enredo que a série tem, até mesmo os momentos de calma de cada cena estão claramente preparados para algo assustador.

Mas um dos melhores truques da série é nos tratar do jeito que ele trata Ethan Chandler, nos dizendo apenas o que precisamos saber e nos deixando adivinhar o resto.

As pessoas tendem a ter uma ideia errada sobre a literatura gótica. Eles acham que é abafado e não-fiel, quando essa é a coisa mais distante da verdade. Mas mesmo que você não queira se sentar e ler os clássicos, esse seriado revelará a você o que está perdendo das maneiras mais divertidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui