O cérebro é como um músculo qualquer. Se ele ficar parado, ocioso e sedentário, naturalmente haverá consequências negativas que poderão facilitar o aparecimento de doenças. No entanto, exercitá-lo constantemente na medida certa traz benefícios impressionantes que ajudam a maximizar o potencial da mente.

Uma das maneiras de exercitar o cérebro é fazê-lo trabalhar, ou seja, encontrar soluções, resolver problemas e tomar decisões rapidamente. Tudo isso é um prato cheio para quem joga videogame e/ou pratica poker.

A ciência já provou repetidamente que praticar poker e jogar videogame de maneira saudável são atividades benéficas para a saúde mental e são alternativas potentes para turbinar a capacidade do cérebro. Portanto, vale a pena relembrar algumas das descobertas da ciência e mencionar outras novas no que tange ao impacto desses entretenimentos na mente humana.

Eficácia dos videogames

Em 2013, um estudo britânico chegou à conclusão que alguns jogos têm a capacidade de tornar o cérebro mais rápido e acelerar o pensamento estratégico. É o que diz os cientistas da Queen Mary University of London e da University College London, que estudaram 72 pessoas para testar suas respectivas flexibilidades cognitivas.

Todas as voluntárias eram mulheres e elas, em grupos separados, jogaram os games StarCraft e The Sims por cerca de 40 horas em um espaço de um mês e meio. Os cientistas concluíram que as pessoas que jogaram StarCraft (jogo que exige estratégia lógica) tiveram melhores respostas nos testes de flexibilidade cognitiva.

“Pesquisas anteriores já haviam demonstrado que os games de ação, como Halo, podem acelerar a tomada de decisão, mas o atual trabalho constata que jogos de estratégia em tempo real podem promover a nossa capacidade de pensar rapidamente e aprender com os erros do passado”, afirmou o pesquisador Brian Glass da Escola de Ciências Biológicas e Químicas da Queen Mary University of London.

Já em 2014, um estudo feito na Universidade de Toronto afirmou que jogos como Call of Duty e Battlefield são eficazes na melhora da coordenação motora. “Na pesquisa, era necessário manter um marcador dentro de um quadrado maior, que se movia em um padrão complicado que se repetia. No começo todos tinham problemas em seguir a rota, mas logo os jogadores de videogames de ação começaram a seguir a rota mais facilmente”, afirma Victor Ferreira, do Gamehall, em um artigo publicado no site UOL.

O médico do esporte Gustavo Magliocca e a pediatra Ana Escobar também explicam a eficácia dos videogames no processo de melhorar a atenção, o aprendizado e a coordenação motora. Magliocca afirma que os games do passado desenvolviam só os membros superiores, porém, o avanço da tecnologia fez com que os jogos exigissem movimentos do corpo todo.

Além disso, muitas escolas estão utilizando o videogame como método de ensino — até para ensinar inglês. “O videogame facilita no aprendizado porque envolve motivação e competição”, afirma Escobar.

Em alguns casos, os games são a porta de entrada até mesmo para novas profissões. É o caso de Bruno Beltran Seixas, aficionado por videogames que aprendeu inglês por conta dos jogos e que hoje trabalha como tradutor. “Durante as aulas eu comecei a inserir o videogame na sala de aula para aprender o inglês. Descobri que o videogame é importante para aprender uma nova língua”, afirmou Seixas, que também exercita a profissão de professor.

Não é possível deixar de citar o que os resultados positivos do jogo Tetris. Para o cérebro, esse game inventado no último século traz muitas vantagens para a mente e até mesmo modifica o cérebro fisicamente.

Abaixo, uma palestra do dr. Richard Haier que comprova como o Tetris traz resultados positivos para o cérebro.

O poder do poker

O poker ajuda a deixar o cérebro mais afiado e para tal uma de suas maiores vantagens é auxiliar no aumento da concentração e foco — além de ser melhorar no bem-estar.

Para o Dr. Jeffrey Cummings, os jogos de cartas, que naturalmente incluem o poker, são eficazes para melhorar o bem-estar. O estudo do especialista concluiu que, para tal, é necessário praticar esses jogos pelo menos duas vezes por semana.

Por ser um jogo em que há muitas teorias avançadas de diversos tipos, o poker faz com que o competidor trabalhe a mente de maneira constante e muitas vezes por longas horas em torneios de grande escala. De acordo com Stephen Simpson, médico dos Estados Unidos que tem uma gama extensa de estudos relacionados aos efeitos do poker no cérebro, quem pratica esse esporte tem bons níveis de concentração.

Simpson comprovou que, devido a rotina do profissional do poker em que é necessário se submeter a longas horas de concentração contínua, eles são mais suscetíveis a se concentrarem com facilidade.

“Quando praticamos novas atividades, novos caminhos para os neurônios são criados. Todo esse processa é saudável para a mielina, o que é positivo para o cérebro. Quanto mais jogamos poker, mais mielina é criada”, afirma Simpson.

Outro ponto em que o poker é efetivo para o cérebro está na possibilidade de socialização, o que desencadeia uma série de benefícios para a mente. Por se tratar de um jogo em que pode ser praticado por até oito pessoas na mesa simultaneamente, o poker é uma ótima entrada para conhecer novas pessoas e naturalmente fazer mais amizades.

As descobertas da ciência certamente não vão parar por aqui. Com os holofotes cada vez maiores no poker e no videogame por conta de suas respectivas ascensões em popularidade, é provável que os especialistas no estudo do cérebro humano se especializem cada vez mais nas vantagens dessas atividades para a mente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui