Resenha: Indesejadas- Kristina Ohlsson

9
77587

“Mas nesse planeta ninguém é invisível, muito menos infalível. “

Gosto bastante de romances policiais, por isso adoro os livros da editora Vestígio. Para quem não sabe, essa editora é especializada em obras de investigação. Indesejadas  foi um título que realmente me chamou atenção, a sinopse é muito interessante, daquelas que te deixa louca para ler o livro. Infelizmente, Indesejadas não foi tudo isso que eu imaginava.

Começarei falando da premissa, que achei muito interessante. Na Suécia, crianças estão sendo sequestradas e encontradas mortas com a palavra “Indesejadas” escrita na testa. A equipe de polícia composta por Fredika, Peder e Alex investiga o crime. Essa equipe é uma das coisas que mais agradou no livro. Fredika é a protagonista, tanto que esse é o romance de lançamento da detetive que terá uma série de livros pela frente, mas o foco está voltado para os três detetives. O trabalho em equipe deles foi um ótimo diferencial, saindo um pouco do costume de um detetive excepcional resolvendo tudo. Por ser um lançamento de personagem, há muito da vida pessoal dos mesmos, o que torna a leitura muito gostosa.

A narrativa de Kristina Ohlsson merece muito pontos positivos. Indesejadas é muito bem escrito, com uma narrativa fluída e gostosa de ler, capaz de te prender do início ao fim. A ousadia de trabalhar com um assunto tão delicado como assassinato de crianças, incluindo um pouco de pedofilia, também conta pontos positivos para a autora, gosto de crimes sem limites de censura.

Kristina Ohlsson
Kristina Ohlsson

Mas, como nem tudo é perfeito nesse mundo, temos os defeitos do livro. São três fatores simples, que o impediram de ser maravilhoso.

O primeiro, e mais grave, foi a obviedade. Todo fã de investigações gosta de ter leves pistas de quem é o assassino e do motivo, aqui, descobrimos rapidamente o motivo, pois é bem obvio, e não temos pistas de possíveis suspeitos para tentar desvendar o mistério do assassino, apenas acompanhamos quem a polícia persegue. Isso acabou com a minha graça de interagir com livro.

Enquanto acompanhamos o trabalho das investigações, somos apresentados a alguns assuntos que ficam esquecidos depois da metade da obra. E com isso temos o segundo fator, a mudança brusca no enredo. Enquanto o suspeito era tal pessoa, temos vários fatos apresentados que são ignorados no decorrer dos acontecimentos, só sendo resolvidos (quando são de fato resolvidos) no final do livro, o que nos deixa no ar, querendo uma resolução, por um longo percurso na leitura.

Pra finalizar, temos o último problema: O Assassino. Esse personagem é muito pouco explorado, tendo uma explicação boa, porém muito curta do porquê estava fazendo essas coisas. A peça chave em uma obra que envolve um ou mais assassinatos, é o motivo que o assassino tem para cometê-los e senti que Ohlsson não deu a atenção necessária a esse detalhe. Pessoalmente, tenho um interesse maior em descobrir o problema psicológico do assassino do que em ver o crime ser resolvido. Achei que a identidade do mesmo e o que aconteceu no passado para que ele tivesse essa necessidade de matar crianças foi apresentado às pressas na conclusão do livro.

Com seus pontos positivos e negativos, Indesejadas possuí um bom crime, um bom motivo e bons personagens. Mesmo com seus erros, é um livro que vale a pena ler.

9 COMENTÁRIOS

  1. Eu não leio muito romances policiais, confesso que acho MUITO interessante, mas geralmente esses livros são meio pesados demais para mim, o que acaba me deixando com uma sensação muito ruim depois de ler por vários dias, e até uma ressaca literária. particularmente eu adorei sua resenha, esse livro parece ser muito bom, mas não sei se leria por tratar de crianças, assassinato e coisas do tipo 🙁

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por Favor insira seu nome aqui